O Grupo

fragmento
urbano

um grupo de dança preta
/de quebrada

O Grupo Fragmento Urbano é um grupo de dança que nasceu em 2009 da inquietude de jovens advindos da periferia da Zona Leste de SP que traziam como ponto de interesse comum a criação de espetáculos a partir da linguagem das Funk Styles (Hip Hop) para intervenção urbana. Compreendendo a dança como um campo de pesquisa amplo e profundo, atualmente as pesquisas para criação se concentram na investigação de uma corporeidade periférica, afro-diasporica, ameríndia, plural e potente. Trata-se de um princípio do grupo a circulação pelos mais variados locais de zona urbana, vivenciando em cada um deles o público transeunte distinto, pois o espetáculo é fomentador da pesquisa continuada do grupo que busca encontrar na heterogeneidade social, étnica e cultural estimulo para a composição.

O grupo tem em seu histórico seis montagens de intervenção urbana: “Breaking de Repente” (VAI -2010/ Proac Hip Hop 2010), “Duoelo” (2013); “Relações Possíveis” (2014), “Encruzilhada” (2016), “Esquina” (2019), “Balada Manifesto”(2019), a performance virtual “Espaço seguro para estar em risco” (2020) e um espetáculo para caixa preta: “Chão que me Cabe” (2014 – em parceria com o NUCCA). Em seu histórico, já foi premiado com o Edital do VAI 2009 e 2010, Proac Hip Hop 2010, Fomento a Dança da cidade de São Paulo, 2015 e 2017, Proac Circulação em Dança em 2019. Recebeu o prêmio APCA 2016 categoria “Revelação em Dança”, realizou residência internacional em 2015 no projeto “Avizinhações”, em Maputo-Moçambique, e em 2020, participa da residência “Balao: creación en residência” com diversos artistas latino-americanos, a partir de Quito-Ecuador, em isolamento social.

Compreendendo a importância dos registros e do arquivamento da produção de conhecimento criado em dança, o grupo possui o documentário “Encruzilhada: as marcas de um processo” dirigido por Aline Senzi e Mariana Midori e a publicação do livro “Fragmentos de uma Encruzilhada” com textos escritos por integrantes do grupo e convidades como Luciane Ramos-Silva, Renata Lima, Eduardo Dialético, entre outres, com organização de Douglas Iesus, Anelise Mayumi e Fernanda Cruz.
Trata-se de um princípio do grupo a circulação pelos mais variados locais de zona urbana, vivenciando em cada um deles o público transeunte distinto, pois o espetáculo é fomentador da pesquisa continuada do grupo que busca encontrar na heterogeneidade social, étnica e cultural estimulo para a composição.

Atualmente o grupo é dirigido por Douglas Iesus, com apoio de Anelise Mayumi e Tiago Reis

Missão

A missão do Grupo Fragmento Urbano é dançar na rua promovendo uma vivência de arte

VISÃO

Ser uma referência na criação e difusão em dança a partir do que a quebrada produz circulando pelos mais variados locais das zonas urbanas mundiais.

VALORES

A responsabilidade social e política é o que nos move, por isso produzimos dança respeitando as diferenças, despertando empatia, reconhecendo e valorizando nossas raízes afro-brasileiras e indígenas.

2023

JAN

Lançamento do site Acervo de dança

Descrição

 

2022

OUT


Sementes

Estréia do Solo de Douglas Iesus, com participação mestra Marlene Santhana, MAM

JAN

 

Próximos passos: pesquisa, montagem e difusão de um acervo dançarino

Projeto contemplado com o 31o Edital de Fomento à Dança da cidade de São Paulo e com múltiplas ações desenvolvidas pela cidade de São Paulo.
Janeiro a Dezembro de 2022.

2021

JUN

Vídeo dança: “Terrorismo Poético: pequenas ações para encantar a quebrada”

Estreia o Festival Visões Urbanas (on-line)

ABR

 

Vídeo dança: Cozinha Fragmento Urbano: café, dendê e encruzilhada

Live Casa de Cultura Raul Seixas. (on-line)

ABR

 

Web-série: Para além das ruas

“Web-série: Para além das ruas”, Lei Aldir Blanc – Projeto Terrorismo Poético: pequenas ações para encantar a quebrada. Web-série em 5 episódios sobre a produção artística do grupo. Abril de 2021 (on-line com audiodescrição e tradução em libras)

JAN

 

Semana de Formação, Lei Aldir Blanc – Projeto “TERR∞R!SMO POÉTICO”

Pequenas ações para encantar a quebrada. De 25 a 29 de janeiro de 2021 (online) Formadores: GIL MARÇAL: Políticas públicas, dinheiro público, responsabilidade social, acesso para quebrada. Thalys Júlio Sarjo: Danças maranhenses: raízes negras da ilha. CPDOC Guaianas: Sobre registrar nossas memórias de quebrada, historicizar nossa existência por uma perspectiva nossa. Frank Ejara: Corporeidades negras do Hip Hop: “Danças Urbanas”. Geni Nunes (Geni Papos): Povos Originários, anti-colonialidade, modos de re-pensar nossas lutas e existências.

2020

DEZ

 

Desenvolvimento do projeto “TERR∞R!SMO POÉTICO”

Desenvolvimento do projeto “TERR∞R!SMO POÉTICO viabilizado pela Lei de Auxílio Emergencial Aldir Blanc do município de São Paulo. Dezembro de 2020.

SET

 

Espaço seguro para ficar em risco

“Espaço seguro para ficar em risco” Performance cênica ao vivo. #EmCasaComSesc – SESC TV SP. Setembro de 2020.

JUL – AGO

 

 

“Balao: Creación en Residência”

Residência Internacional em dança virtual com 8 artistas de 6 países da Latino América, coordenado por Tamya Guayasamin (Quito-Equador). Julho e Agosto 2020.

JUN

 

“Encruzilhada”

Participação da série de Dança Contemporânea do Sesc TV Um olhar plural para a dança contemporânea no país a partir de uma poética do corpo negro” com curadoria e Gal Martins. Lançamento em Junho, 2020.

2019

DEZ

 

Projeto “Por entre esquinas: circulação do espetáculo Esquina”.

Contemplado pelo Proac 04/2019 Circulação em Dança. 2019

DEZ

 

Balada Manifesto

Estreia no Sesc Av. Paulista-SP.
Dezembro, 2019

NOV

 

“Encruzilhada” Participação no Festival Motim

Participação no Festival Motim com apresentações e oficinas de dança – Manaus/AM.
Novembro, 2019

OUT

 

“Lançamento do Livro: Fragmentos de uma Encruzilhada” 

Festival Latino Americano Dança à Deriva – Centro de Referência da Dança.
Outubro, 2019

SET

 

“Lançamento do livro Fragmentos de uma Encruzilhada”

“Lançamento do livro Fragmentos de uma Encruzilhada” – Bienal Sesc de Dança-Campinas/ SP.
Setembro, 2019

AGO

 

“Breaking de Repente”

Ocupação na Mostra Itaú Cultural de Dança.
Agosto, 2019

JUN

 

“Encruzilhada”

Festival Brasil Cena Aberta Sesc BR – Praça das Artes/SP. Junho, 2019

MAI

 

“Run Like a girl” Residência artística

Residência artística coordenado pela Anikaya Dance Company (Boston-USA) em parceria com Luciane Ramos-Silva (BR), Fragmento Urbano (BR), Multicores (Benin), Leonardo Castilho-Corpo Sinalizante (BR). Centro de Referência da Dança/SP.
Maio, 2019

MAI

 

“Ocupação Para Além das Primeiras Margens” com estreia e temporada do trabalho “Esquina” e oficinas de dança

“Ocupação Para Além das Primeiras Margens” com estreia e temporada do trabalho “Esquina” e oficinas de dança, em parceria com Núcleo Ximbra. Sesc Pinheiros.
Maio, 2019

ABR

 

“Festival Entre Dança” apresentação do trabalho “Encruzilhada” mais oficinas.

Sesc Copacabana/RJ.
Abril, 2019

FEV

 

“Lançamento do Livro Fragmentos de uma Encruzilhada”

“Lançamento do Livro Fragmentos de uma Encruzilhada” Geopoéticas do Sul – Centro de Referência da Dança/SP.
Fevereiro, 2019

2018

DEZ

 

“V Prêmio Denilto Gomes de Dança – Prêmio de Ação Continuada em Dança”

Contemplado pelo Proac 04/2019 Circulação em Dança. 2019

NOV

 

“XII Mostra de Fomento à Dança” organização da festa de abertura “Cortejo Jam”

“XII Mostra de Fomento à Dança” organização da festa de abertura “Cortejo Jam” – Fragmento Urbano. Espaço Cultural Adebankê – Artur Alvin/SP. Novembro, 2018

SET

 

“Encruzilhada” Sesc Piedade

“Encruzilhada” Sesc Piedade – Recife/Pernambuco.
Setembro, 2018

AGO

 

“Encruzilhada” – 9o Circuito Vozes do Corpo

“Encruzilhada” – 9o Circuito Vozes do Corpo – Cia Sansacroma. Fábrica de Cultura Jardim São Luiz. Agosto, 2018

JUL

 

“Encruzilhada” Programa Manos & Minas TV Cultura.

 Julho, 2018

JUN

 

“Encruzilhada” Programa Olhar TVT

 Junho, 2018

JAN – NOV

 

 

“Encruzilhada: In.Corpor.Ações”

Projeto contemplado com XXI Edital de Fomento à Dança da cidade de São Paulo e com múltiplas ações desenvolvidas pela cidade de São Paulo.

Janeiro a Novembro, 2018.

2017

SET

 

Festival Rede Terreiro de Dança Contemporânea – “Encruzilhada”. 

Belo Horizonte, MG: Setembro de 2017.

JUL

 

Escambo das Artes: Cia Experimentadonus (BA) e Fragmento Urbano (SP).

Oficina de dança Encruzilhada Style.
Salvador: Julho, 2017.

JUL

 

Encontro FUZUÊ 

Organização do encontro Fuzuê, reunião de diversos grupo artísticos da Zona Leste para pensar e agir sobre auto-sustentabilidade e resistências.
Espaço Cultural Adebankê SP: Julho, 2017.

JUN

 

Escambos das Artes: Cia. Pão Doce (Mossoró) e Fragmento Urbano(SP).

Projeção do documentário “Encruzilhada: as marcas de um processo” e apresentação “Relações Possíveis”.
Mossoró (RN): Junho 2017

JUN

 

ANDA – Associação Nacional dos Pesquisadores em Dança – “Projeto Fragmento na Mala: relatos de experiência”

UFRN – Natal: Junho 2017.

MAI

 

Festival ABCDança – “Encruzilhada”

Maio, 2017

ABR – MAI

 

 

CIRCUITO SESC DE ARTES – SP – “Encruzilhada”

 Cidades de: Lorena, São Luís do Paraitinga, Pidamonhangaba, Lins, Penápolis, Araçatuba, Ubatuba, São Sebastião e Caraguatatuba: Abril e Maio, 2017

MAR

 

Festival Visões Urbanas – Cia Artesãos do Corpo. “Encruzilhada”

Paço da Artes, Março, 2017

2016

DEZ

 

Prêmio APCA 2016 – Categoria Dança: Grupo Revelação.

MG: Dezembro de 2016.

2015 – 2016

 

XIX Fomento à Dança da Cidade de São Paulo – Pesquisa “Encruzilhada”

XIX Fomento à Dança da Cidade de São Paulo – Pesquisa “Encruzilhada”.
2015|2016

NOV

 

Entremear: Um encontro entre propositores de dança com pesquisas afro-orientadas, travessias diferentes e atravessamentos comuns com Luciane Ramos-Silva e Wendy Jehlen (USA).

Oficina Cultural Alfredo Volpi. São Paulo: Novembro, 2016.

OUT

 

“Encruzilhada” – Apresentação em São Luís, MA

Apresentação na Praça Nauro Machado em São Luís, MA
Outubro, 2016.

OUT

 

Organização da Mostra do Fomento na Zona Leste.

São Paulo: Centro de Formação e Cultura da Cidade Tiradentes.
Outubro, 2016.

2015

JUL

 

“Relações Possíveis” – apresentação do espetáculo no projeto Estéticas da Periferia, Ação Educativa.

São Paulo: Julho, 2015.

ABR

 

Oficina de Danças Moçambicanas KANIMAMBO – Parceria com o grupo EHPALA.

Oficina Cultural Oswald de Andrade.
São Paulo: Abril 2015.

ABR

 

Colóquio o Afro Contemporâneo nas Artes Cênicas – Apresentação da pesquisa Encruzilhada.

UNESP, São Paulo: Abril, 2015.

MAR

 

“Relações Possíveis” – Apresentação do espetáculo no projeto Avizinhações (EHPALA)

Moçambique: Março, 2015.

MAR

 

Bloco da Quebrada

Evento organizado pelo grupo em parceria com o coletivo MARIAN ARIPORIA (AM), Bloco Carnavalesco com Hip Hop.
São Paulo: Março, 2015..

2014

DEZ

 

“COMPARTIDANÇA” – Parceria com Colectivo Carretel de Danza (CO)

Troca e compartilhamento de processos cênicos.
São Paulo: Dezembro, 2014

NOV

 

“UNIVERSIDADE, CULTURA E PERIFERIA: Zona Leste, qual Universidade queremos?” (Curso de Extensão UNIFESP/EFLCH)

Palestra sobre o projeto “Fragmento na Mala”
São Paulo: Novembro, 2014

JUN

 

Projeto “Fragmento na Mala”

Junho, 2014

2013

NOV

 

“Semana Paulista de Artes” – Apresentação do espetáculo “DUOELO”

Escola Paulista de Medicina (UNIFESP).
São Paulo: Novembro, 2013

NOV

 

“Mostra: Propostas para o Corpo” Apresentação do espetáculo “DUOELO”

NUCCA Unifesp.
Guarulhos: Novembro, 2013

OUT

 

“Unifesp Mostra sua Arte” Apresentação do espetáculo “DUOELO”

Centro Cultural Banco do Brasil.
São Paulo: Outubro, 2013

JUN

 

Estréia do espetáculo “Duoelo”

São Paulo: Junho, 2013

2012

JUN

 

Estreia do espetáculo “Dança por Correio”

São Paulo: Junho, 2012

2011

JUN

 

“Mostra Visões Urbanas” – apresentação do espetáculo Breaking de Repente e Oficina de Danças Urbanas

São Paulo: Junho, 2011

2010

DEZ

 

VAI – Projeto “Breaking de Repente”

São Paulo: Dezembro, 2010

NOV

 

PROAC Hip Hop – Circulação do espetáculo “Breaking de Repente”

São Paulo: Novembro, 2010

2009

JUN

 

VAI – Projeto “Nós na Cena”

São Paulo: Junho, 2011

©Fragmento Urbano 2023. Todas as imagens e conteúdo criativo intelectual pertencem ao Grupo Fragmento Urbano.